Doenças relacionadas

Esclerose Múltipla e Doenças Desmielinizantes

O QUE É A ESCLEROSE MÚLTIPLA?

É uma doença inflamatória que compromete o neurônio e a bainha de mielina. A bainha de mielina é a camada que reveste uma parte do neurônio chamada axônio e é composta por proteínas e lipídios. Esta doença pode causar alterações no cérebro e na medula espinhal. Trata-se de uma doença que ocorre em surtos (períodos de piora aguda) que duram de 24 horas até 30 dias e com tendência de se repetir com o tempo e em regiões diferentes do cérebro e medula espinhal. Logo, a palavra múltipla, diz respeito a várias repetições no tempo e em diferentes regiões do sistema nervoso. Apresenta também múltiplas apresentações e sintomas, então, cada pessoa apresenta sintomas e evolução diferente de outras com a mesma doença.

COMO A ESCLEROSE MÚLTIPLA CAUSA PROBLEMAS AOS NEURÔNIOS?

A esclerose múltipla é uma doença do grupo das doenças auto-imnues. O termo auto-imune significa que organismo produz células de defesa e anticorpos contra suas próprias células nervosas (neurônios). O sistema de defesa passa a atacar seus próprios neurônios causando lesões na bainha de mielina e no axônio das células do cérebro e medula espinhal. O mecanismo exato para iniciar a doença ainda não pode ser totalmente explicado pela ciência médica. Entretanto, sabe-se que existem fatores que facilitam o aparecimento da doença e os principais são: alterações na genética do sistema imunológico, infecções virais, vacinas, história familiar da mesma doença, etc…

QUAIS OS PRINCIPAIS SINTOMAS DA ESCLEROSE MÚLTIPLA?

Existem várias formas de manifestação desta doença. O objetivo aqui é comentar sobre a forma mais comum chamada de forma remitente- recorrente da Esclerose Múltipla. Primeiro deve-se lembrar que os sintomas são de aparecimento súbito e duram de 01 até 30 dias e isto é chamado de surto. Existe uma infinidade de sintomas que podem estar associados a esta doença: sintomas motores, sintomas visuais, sintomas do equilíbrio, sintomas sensitivos, sintomas intelectuais, sintomas esfincterianos, sintomas emocionais e sintomas dolorosos. A seguir serão enumerados os sintomas motores, de equilíbrio e visuais mais comuns: perda de força em um dos lados do corpo, perda de força em ambas as pernas, rigidez muscular excessiva, dificuldade para caminhar, desequilíbrio, perda da coordenação motora em um dos braços, quedas freqüentes, dificuldades para engolir alimentos, visão dupla, visão borrada, perda súbita da visão. Existem diferenças entre fraqueza muscular, cansaço e fadiga. A fraqueza quando é originária de doença neurológica deve trazer problemas de locomoção, dificuldade para segurar objetos com as mãos, quedas freqüentes, dificuldades para pentear os cabelos, etc…

A fadiga e o cansaço também podem ser causados por doenças cardíacas, reumatismos, doenças pulmonares, doenças renais, doenças do sangue e até doenças psiquiátricas. Os sintomas de alterações na sensibilidade podem ser: perda de sensibilidade, perda do senso da posição dos membros, sensações desagradáveis em áreas específicas do corpo, formigamentos, hipersensibilidade ao toque e dor. A intensidade destes sintomas é muito variável e temos desde sintomas leves até os maisgraves que podem deixar a pessoa com restrições para caminhar.

COMO SE FAZ O DIAGNÓSTICO DA ESCLEROSE MÚLTIPLA?

Existem muitas doenças neurológicas com sintomas semelhantes aos da esclerose múltipla. A diferenciação só pode ser feita pelo médico com a utilização dos exames complementares. Outro ponto e diferenciar qual forma da esclerose múltipla cada pessoa apresenta, pois o tratamento é diferente para cada forma.

QUAIS SÃO OS TRATAMENTOS PARA A ESCLEROSE MÚLTIPLA?

Infelizmente não existe cura para esta doença. O tratamento pode ser dividido em duas etapas. A primeira consiste no controle da doença com uso de medicações para modular os sistema imunológico e prevenir novos surtos numa tentativa de diminuir a progressão da doença. A segunda etapa engloba o tratamento dos sintomas da doença e devem ser envolvidos outros profissionais da saúde para auxiliar o médico com sessões de reabilitação e fisioterapia, tratamento da dor, evitar as contraturas musculares e articulares fixas com uso de órteses, auxílio de um Fonoaudiólogo para tratamento das dificuldades da fala e da deglutição, auxílio do terapeuta ocupacional, auxílio da enfermeira para o uso correta das medicações, suporte psicológico pra enfrentar a doença e o suporte familiar.

6) QUAIS SÃO AS OUTRAS PRINCIPAIS DOENÇAS DESMIELINIZANTES?

Existem muitas outras doenças desmielinizantes do sistema nervoso central que podem ter sintomas semelhantes aos da Esclerose Múltipla. Citaremos algumas a seguir. Neuromielite Óptica (Doença de Devic): trata-se de forma mais grave de doença desmielinizante que causa mielites transversas de repetição e neurite óptica geralmente bilateral.

Encefalomielite aguda disseminada (ADEM acute disseminated encephalomyelitis): caracterizada por febre, alteração da consciência, desequilíbrio para caminhar, sonolência, coma, fraqueza nos membros, retenção urinária e que geralmente ocorrem após um quadro gripal ou após vacinação. Mielite Transversa: é uma doença desmielinizante aguda (desenvolve-se em poucos dias) da medula espinhal caracterizada por perda de força nos braços e pernas, perda de sensibilidade, retenção urinária e fecal, desequilíbrio e dificuldades para caminhar.